Faz tempo que as pessoas que não são extrovertidas, que são mais caladas e que não são muito de se enturmar carregam o rótulo de pessoa antipática, arrogante, antissocial e estranha. 

Os introvertidos costumam ser vistos como pessoas que têm um defeito sério que seria o de não se comunicar muito. 

Aqueles que não costumam jogar conversa fora, não são de visitar os outros ou receber visita em casa com frequência são vistos ainda com desconfiança. 

Ainda mais comum que este tipo de preconceito com os mais calados, é a surpresa e a frequência com que os introvertidos ouvem algo do tipo “nossa, antes de eu conversar com você eu achava que você era muito antipático, metido a besta; mas agora sei que você é muito gente boa!”. 

É, a vida dos introvertidos em uma sociedade onde aquele que costuma conversar animadamente e que se enturma logo em qualquer ambiente sendo a pessoa mais popular nos eventos sociais, considerada uma pessoa melhor e mais capacitada é um desafio. 

A extroversão sempre foi vista como uma qualidade que levam as pessoas a se saírem melhor na vida pessoal, profissional e amorosa.  

O comportamento mais despojado seria característica das pessoas de sucesso. 

Embora este senso comum ainda seja frequente, cada vez mais fica claro que o introvertido também tem a mesma capacidade de se comunicar, de ter uma ampla rede de amigos e ter sucesso na vida.  

A única diferença é que a sua personalidade é ímpar. 

A introversão é um traço de personalidade aonde a pessoa é mais reservada e se sente muito bem ficando mais calada ou não frequentando festas e eventos com muita regularidade. 

O fato de não se destacar nos ambientes não quer dizer que o introvertido tenha problemas ou dificuldades na vida social. Ele apenas funciona diferente do que a pessoa extrovertida. 

O próprio nome já trás o sufixo IN que indica interior. O introvertido tem maior facilidade em administrar sua vida internamente. Pensa mais antes de falar e de se expressar.  

Você não vai achar um introvertido sendo o centro das piadas num ambiente, mas poderá se divertir com seus comentários rápidos e com um humor apurado feito discretamente a todo instante. 

São modos diferentes de comportamento. Não existe melhor ou pior, são apenas personalidades distintas. 

Estas e outras características são marcantes no introvertido. Mas muitas pessoas ainda acreditam em verdadeiras lendas sobre aqueles que não são de aparecer muito nos meios sociais. 

Confira alguns mitos que perseguem o introvertido até hoje: 

  • Introvertidos Não Gostam de Pessoas: na verdade os introvertidos nem gostam e nem desgostam das pessoas, eles apenas gostam de encontros com um objetivo específico. Ficar papeando à toa, conversando horas, não é o gosto do introvertido. Ele prefere ficar mais sozinho ou conversando sobre algo objetivo; 
  • Introvertidos São Tímidos: Uma coisa nada tem a ver com outra. Extrovertidos também podem ser tímidos. Quem nunca viu entrevistas de famosos dizendo que são extremamente tímidos e que se sentem muito desconfortáveis numa entrevista? O que varia é a prioridade. Introvertidos dão prioridade para seu mundo interno subjetivo. Já os extrovertidos, fazem o inverso; 
  • Introvertidos Não Tem Habilidade Com as Pessoas: Habilidade social e introversão não são contrárias. O introvertido é mais observador, atento, pensa antes de falar. Na verdade, isto pode ser até uma grande vantagem, pois na hora de conquistar um cliente, por exemplo, o introvertido fica atento aos sinais e consegue conquistar prestando atenção ao que o outro diz e nos seus sinais; 
  • Introvertidos Não Gostam de Falar: Na verdade o introvertido gosta de falar quando tem o que dizer de interessante. Comece um assunto do interesse do introvertido e você o verá falar empolgadamente por horas sobre o assunto ao qual ele tem domínio ou interesse; 
  • Introvertidos Só gostam de Ficar Sozinhos: de modo algum! Eles sabem ficar muito bem sozinhos, curtem o seu canto, suas coisinhas, mas sentem necessidade de socializar também e o fazem. A única diferença é que eles não sentem esta necessidade com tanta frequência; 
  • Eles São Estranhos: daí o conceito de estranho varia bastante. O que é estranho para você? Se for estranho não seguir uma moda, não assistir a série que todo mundo fala ou evitar ouvir a música que todo mundo ouve, então talvez sim, o introvertido pode ser “estranho”, pois ele pauta suas preferências em seu mundo interno, suas próprias opiniões; 
  • Introvertidos Não Sabem Se Divertir: Sabem se divertir como qualquer outro! A diversão do introvertido pode ser ler um bom livro, curtir a natureza ou acompanhar sua série preferida. A parte do cérebro do introvertido mais sensível à dopamina o permite se divertir sem precisar se empolgar muito para ter esta sensação de prazer. Já os extrovertidos tem menos sensibilidade a este neurotransmissor o que faz com eles precisem de mais “emoções” para se divertir ou se sentir bem; 
  • Introvertidos Ficam Ausentes: este é o maior mito de todos, talvez. Pois é justamente o contrário. O introvertido presta atenção em absolutamente tudo. Concentra-se com muito mais facilidade, ele apenas não demonstra isso. Enquanto o extrovertido está interagindo e se comunicando a maior parte do tempo, o introvertido está atento ao ambiente, às pessoas, tudo ao mesmo tempo; 
  • Introvertidos Nãos Gostam de Estar Em Público: depende do público. Se for algo que não agrade ao introvertido, ele realmente não verá necessidade de estar ali, mas se for algo profissional ou algo que o agrade, ele ficará em público sem problema algum; 
  • Introvertidos São Difíceis de Lidar: se você entender como o introvertido funciona, que ele precisa de espaço e não vê necessidade de ficar falando o tempo todo, aparecendo, você terá um companheiro para toda a vida, que é leal e discreto. Não é difícil de lidar, é fácil lidar. Basta enxerga-lo como ele é e não como você acha que ele deveria ser; 
  • Introvertidos Podem Ser Extrovertidos Se Se Esforçarem: na verdade o introvertido é deste jeito. Ele está bem assim e seus defeitos são como os de qualquer outra pessoa. Não existe a necessidade de se transformar no que as pessoas acham que é melhor. O introvertido é feliz em ser assim. 

A sociedade precisa desta riqueza de personalidades. 

Tanto o extrovertido quanto o introvertido são complementares em um mundo onde precisamos de pessoas com características marcantes e autênticas. 

Existe uma falsa ideia de que a pessoa feliz é aquela que vive falante, conversando com todos e estando em evidência. 

Na verdade, a real felicidade está na paz de espírito que cada um traz consigo. 

A harmonia de estar bem, sem precisar provar nada para o outro é a maior felicidade que podemos experimentar. 

Ser introvertido é uma característica e não defeito ou qualidade.  

Cometemos grandes equívocos ao enquadrar como feliz ou infeliz quem se comporta de maneira X ou Y.  

Introvertidos agem de maneira mais ponderada e discreta porque gostam de ouvir mais, de prestar mais atenção, de focar suas energias no trabalho, nas suas preferências e nas pessoas também, por que não? 

As pessoas que mantém um amigo que é introvertido dirão que ele é mais quieto, não responde logo ao aplicativo de mensagens mas quando conversam, mostram que prestaram atenção em tudo que lhe foi dito e ainda acrescentam pontos que a própria pessoa não havia percebido que foi falado anteriormente na conversa. 

Além disso, quando o amigo pede ajuda para o introvertido, pode esperar, ele sempre vai retornar e se mostrar disponível a ajudar. 

Nós nos construímos de acordo com nosso mundo interno e como este mundo se conecta com o exterior. Por isto que na hora de se expressar, tudo é muito pessoal. 

Eu posso sentir muito carinho por alguém e não dizer isto o tempo todo. Posso demonstrar isto na hora de ouvir, na hora de escolher um presente que é a cara da pessoa, na hora de viajar apenas para dar um abraço em quem passa por um momento difícil. Atitude esta que considero mais importante do que ir à uma festa com a pessoa. 

É tudo questão de aceitar a pessoa como ela é. 

Os introvertidos muitas vezes são tidos como frios ou insensíveis só por não demonstrarem o que sentem mais abertamente. Mas sentir é totalmente diferente de demonstrar. 

Nem sempre o que a pessoa demonstra é o que sente. E nem sempre o não demonstrar significa não sentir. 

Precisamos sempre trazer a empatia na frente do trato com as pessoas.  

Antes de firmar impressões sólidas sobre alguém, é melhor deixar em aberto e permitir que a pessoa seja do jeito dela e pronto.  

Introversão, extroversão, timidez, são características que enriquecem nosso círculo social. Cada pessoa traz consigo seu próprio encanto e seria muito chato se todos fossem iguais, não é mesmo? 

Se você é introvertido, se considera o mais quieto da turma, encare isto como uma característica sua apenas. Você não é nem melhor nem pior que o restante das pessoas que você conhece. Você é você. Ponto. 

E é bom que seja assim, pois sempre existem vantagens no modo mais focado e concentrado de ser tanto na vida profissional quanto na pessoal. Com o tempo as pessoas aprendem realmente enxergar o outro com todas as suas características e riquezas pessoais que cada um tem a oferecer. 

E que assim seja. Viva a diversidade de mundos pessoais! 

 

Compartilhe

Contato

Telefone ou Whatsapp para verificação de disponibilidade e Agendamento para atendimento online:

(21) 98843-0729
Terapia de Casal RJ

Posts Relacionados

Compartilhe