melancolia

Psicólogo Flaviano Silva CRP 05/56349

Mais do que um termo que ilustra grandes obras literárias de séculos passados, a palavra melancolia traz um significado peculiar e único. Do grego “bílis negra”, a palavra vem ilustrar um estado emocional obscuro e amargo. Uma tristeza e apatia sem razão aparente e que pode se estender por tempo indeterminado.

A Melancolia dos filósofos e poetas até apresentava aspectos positivos de inspiração e criação de canções e poesias. Mas conforme o tempo avança e a medicina na área da saúde mental fica cada vez mais desenvolvida, passou-se a perceber que a melancolia não era exatamente algo sutil ou passageiro que acometia até de maneira lúdica as pessoas.

O que era uma palavra que descrevia uma série de sintomas envolvidos pela tristeza ou sofrimento devido a um amor platônico descreveria então distintos estados de humor muito superficialmente e só no século 19 percebeu-se que o que antes era chamado de melancolia, nada mais era do que Depressão.

O estado melancólico é exatamente o mesmo estado em que se encontra a pessoa quando sofre de algum transtorno depressivo.

A Depressão em si, é um transtorno de humor que possui vários tipos e intensidades. Não existe somente uma Depressão. Existem modalidades e seus níveis de gravidade.

Com a publicação da obra Luto e Melancolia de Sigmund Freud no ano de 1917, a comunidade acadêmica ratificou o desuso da palavra melancolia quando se trata de estado de humor e nomeou então a psicopatologia Depressão.

Mais do que um termo que ilustra grandes obras literárias de séculos passados, a palavra melancolia traz um significado peculiar e único. Do grego “bílis negra”, a palavra vem ilustrar um estado emocional obscuro e amargo. Uma tristeza e apatia sem razão aparente e que pode se estender por tempo indeterminado.

Hoje em dia a melancolia é um termo usado mais no que se refere à arte, emoção ou sentimento junto com termos como a tristeza, saudosismo, etc. Já Depressão, é uma doença devidamente catalogada e registrada na Classificação Internacional de Doenças Mentais, o CID 10.

Em dados do ano de 2017 a OMS (Organização Mundial da Saúde) divulgou que 4% da população do planeta sofre de Depressão e que o Brasil, é o país que mais tem registros de casos de depressão no mundo.

Esta informação pode ser um choque para quem ainda vê o Brasil como o país da alegria e dos sorrisos. Porém, talvez exatamente por trazer uma fama de país feliz que muita gente se recusa a admitir que sofre de algum tipo de transtorno depressivo. Afinal de contas, a tristeza não traz status, não conquista amizades nem amores. Muito pelo contrário, as pessoas meio que fogem de quem se apresenta triste e “carrancudo”.

A Depressão (é bom que isto fique bem claro) é uma DOENÇA. Não se trata de uma tristeza que vem e passa, não é frescura e nem drama.

Trata-se de uma condição neuroquímica, onde os neurotransmissores responsáveis pela sensação de alegria, prazer, satisfação não “funcionam” direito.

A pessoa não consegue acionar tais mecanismos por alguma razão ainda não conhecida totalmente. Deste modo, ela passa a “murchar”. Um dia deixa de sair porque está sem vontade, deixa de assistir sua série preferida porque esta parece que ficou desinteressante, deixa de lado seu prato preferido, começa a ficar cada vez mais isolada e evita ao máximo o contato com as pessoas… E assim vai. Esta evolução de apatia, tristeza e sentimento de menos valia podem evoluir para automutilações e tentativas de suicídio.

Além disso, outros sintomas do transtorno depressivo são a dificuldade de concentração e atenção, irritabilidade, insônia, alteração do apetite. Podem aparecer também dores de cabeça, de estômago, dores pelo corpo.

No caso, estamos falando de uma Depressão sem causa aparente. Já a depressão desencadeada por um evento traumático ou perda de um ente querido, os sintomas são muito mais rápidos e graves.

Uma crise depressiva conta com situações em que a pessoa se tranca no quarto, fica sem comer e nem beber nada. Não toma banho, só fica ali, enclausurada por vontade própria e muitas vezes chorando muito, recolhida.

A Melancolia dos filósofos e poetas até apresentava aspectos positivos de inspiração e criação de canções e poesias. Mas conforme o tempo avança e a medicina na área da saúde mental fica cada vez mais desenvolvida, passou-se a perceber que a melancolia não era exatamente algo sutil ou passageiro que acometia até de maneira lúdica as pessoas.

Caso não reaja ou não busque tratamento, ela pode entrar em um processo de desnutrição e até inanição.

Existem mais de 15 tipos de Depressão hoje catalogados. Além destes, outras doenças mentais também contam com sintomas depressivos.

Embora muitos pensem que Depressão é o estado em que a pessoa só fica em crise, trata-se de um transtorno de humor. Ou seja, o humor varia, mas com uma maior tendência ao recolhimento, sensação de vazio, de menos valia de incompreensão ou incapacidade, incompetência. A baixa autoestima é uma constante no depressivo.

Mas mesmo com todas estas características muitos continuam sua vida normalmente. Levantam-se cedo, trabalham, estudam, saem com amigos, viajam etc. Só que no íntimo, a tristeza é preponderante.

Não é de se estranhar algumas postagens ou notícias nas redes sociais onde aparecem a foto de uma pessoa sorrindo, viajando num dia e no dia seguinte, esta cometeu suicídio.

Ou ainda, celebridades, atores, atrizes, músicos que eram o verdadeiro retrato da felicidade de repente são notícia nas páginas policias também por cometer o autoextermínio.

Uma das grandes dificuldades desta doença incapacitante (em 2017 12% da população brasileira foi afastada pelo INSS devido à depressão) é a dificuldade em se reconhecer a doença. Ela não aparece explicitamente. Muitas pessoas convivem com a depressão por anos sem saber disso.

É importante reconhecer logo a possibilidade desta psicopatia ocorrer. Se a pessoa passa pelo menos 14 dias em estado de apatia, recolhimento, mau humor constante, insônia, hipersensibilidade com episódios de choro sem motivo aparente; é possível que ali esteja se instalando um quadro depressivo.

A melancolia ou depressão é definida como a doença que retira todas as cores da vida. O depressivo não consegue sentir ânimo, tomar iniciativa com a mesma facilidade que as pessoas saudáveis. Tudo é mais pesado. Se sentir bem, leve é algo raríssimo.

Não existe vontade de nada. Nem de sorrir, nem de brigar, nem de fazer o que antes dava prazer.

A libido, desejo sexual ficam praticamente inexistentes. A tolerância, paciência também são mínimos.

O que era uma palavra que descrevia uma série de sintomas envolvidos pela tristeza ou sofrimento devido a um amor platônico descreveria então distintos estados de humor muito superficialmente e só no século 19 percebeu-se que o que antes era chamado de melancolia, nada mais era do que Depressão.

Existe um tipo de Transtorno Depressivo chamado Distimia. Este é o clássico mal humorado. Mas neste caso, é uma irritabilidade patológica, constante. Tudo a pessoa reclama. Nada está bom, tudo é crítica. É uma espécie de agressividade velada. Muitos distímicos tem fama de serem até engraçados e realmente o são; mas se você prestar atenção, todas as piadas e frases engraçadas do distímico são críticas, ataques, reclamações e lamentações.

O tratamento da Depressão/Melancolia é feito com terapia e medicação.

A medicação vai estabilizar o humor, impedindo que este caia demais e derrube mais ainda a pessoa. Depois, dependendo do resultado desta intervenção medicamentosa, pode-se entrar com o antidepressivo.

Ambos os medicamentos não causam nem sono nem dependência.

A pessoa que trata a depressão adequadamente com terapia e medicação ou somente medicação (cada quadro possui necessidades particulares), consegue levar a vida normalmente. Obviamente que ela não será a mais animada de todas, mas a qualidade de vida é recuperada em pouco mais de um mês de tratamento dependendo de cada pessoa, claro.

Alguns quadros depressivos possuem cura, outros não.

A chamada Depressão Crônica pode ocorrer desde a infância.

Aliás, crianças também podem sofrer de depressão. Só que seus sintomas são um pouco diferentes dos adultos.

A criança depressiva pode se tornar muito agressiva, ficar mais quieta, recolhida. Às vezes ocorre a enurese noturna (xixi na cama), o rendimento na escola pode cair significativamente.

Caso você perceba que alguma criança apresenta tais comportamentos, é bom procurar um especialista em saúde mental.

A Depressão Crônica quando tratada corretamente, pode perdurar durante toda a vida da pessoa. É comum a pessoa ter de tomar medicação de uso contínuo.

Todo dia, de manhã (geralmente) é preciso tomar o remédio para que a atenção, concentração, memória sejam preservadas; pois o depressivo tem rebaixamento destes três componentes cognitivos.

Ler um parágrafo para quem tem depressão pode ser muito complicado porque logo ao acabar de ler, já se esqueceu o que leu ou não conseguiu entender direito.

Perceba como as características deste transtorno de humor são complexas e vastas. Por isso é tão difícil reconhecer clinicamente a doença se não for buscada ajuda profissional.

Embora muitos pensem que Depressão é o estado em que a pessoa só fica em crise, trata-se de um transtorno de humor. Ou seja, o humor varia, mas com uma maior tendência ao recolhimento, sensação de vazio, de menos valia de incompreensão ou incapacidade, incompetência. A baixa autoestima é uma constante no depressivo.

Quem poderia imaginar que o famoso Charles Chaplin, por exemplo, era depressivo? E o que dizer de Robin Williams, o ator que fez tantos papéis cômicos e emocionantes que no ano de 2014 cometeu suicídio e só assim todos descobriram que ele sofria de um Transtorno Depressivo Maior?

O sofrimento de quem tem esta doença é imensurável. É uma sombra que persegue a pessoa, que abafa suas alegrias e anseios, oprime sua versatilidade de viver e deixa tudo mais pesado e arrastado.

Além disso, o depressivo é chamado de preguiçoso, folgado, dramático, fresco, arrogante, metido, nariz empinado… Tudo isso porque puxar conversa, cumprimentar o outro de longe, interagir é algo extremamente difícil. Sem falar nos esquecimentos que podem parecer incompetência ou até ignorância.

Por estas e outras é que foi estipulada uma data mundial para o Combate Ao Suicídio e Tratamento da Depressão. O chamado Setembro Amarelo aqui no Brasil é uma campanha de esclarecimento e acolhimento de pessoas com problemas de depressão ou sintomas correlatos.

Caso você apresente os sintomas de apatia, tristeza constante, insônia, picos ansiosos, irritabilidade por um período de quinze dias ou mais, é bom procurar um médico psiquiatra ou psicólogo para avaliar se existe a possibilidade de se tratar de um Transtorno Depressivo.

O sofrimento de quem tem esta doença é imensurável. É uma sombra que persegue a pessoa, que abafa suas alegrias e anseios, oprime sua versatilidade de viver e deixa tudo mais pesado e arrastado. Além disso, o depressivo é chamado de preguiçoso, folgado, dramático, fresco, arrogante, metido, nariz empinado... Tudo isso porque puxar conversa, cumprimentar o outro de longe, interagir é algo extremamente difícil. Sem falar nos esquecimentos que podem parecer incompetência ou até ignorância.

Alguns problemas hormonais, problemas na Glândula Tireoide desencadeiam sintomas muito parecidos com a depressão. É preciso se consultar e fazer uma série de exames para eliminar esta hipótese.

Se você conhece alguém que tenha ou parece ter problema de Depressão, não espere que este peça ajuda. Ofereça um ombro, puxe conversa, tenha paciência.

Jamais diga que isto é “falta de Deus” ou “você tem que reagir e sair dessa” ou ainda “tanta gente com problemas tão maiores e você aí deste jeito”. Frases como estas só pioram o quadro porque o depressivo já se sente culpado por tudo, acha que ele é só um peso inútil no mundo e esta capacidade de reação é algo que está intimamente ligado com a bioquímica cerebral, é justamente a área do cérebro afetada pelo transtorno.

Não é preguiça ou falta de fé. É uma doença do comportamento.

Vale lembrar, porém, que sentir tristeza, chorar é absolutamente normal e saudável. É preciso aceitar a tristeza como emoção humana natural.

O problema ocorre somente se esta tristeza perdurar por muito tempo, se esta emoção prejudicar a qualidade de vida da pessoa.

Muitos são os casos de abuso de álcool e drogas por pessoas que sofrem da doença e não sabem. Elas bebem ou usam outras substâncias para “se animar”. E este comportamento pode acabar por agravar ainda mais o quadro depressivo levando até às crises graves com possibilidade de suicídio direto ou indireto.

Uma pessoa que tem por hábito beber muito e dirigir pode ser um suicida em potencial. Este é um dos exemplos de um suicídio indireto.

Todos nós passamos por dificuldades, frustrações e decepções na vida. É mais do que natural sofrer por isso e chorar, se recolher por um tempo, evitar agitos, querer sentir a dor emocional sozinho. Mas caso esta dor até existencial persista, devemos procurar um amigo, alguém para conversar, desabafar.

Existem serviços de atendimento gratuitos como o CVV (Centro de Valorização da Vida) aonde a pessoa pode ligar e conversar com atendentes treinados para isso. O telefone é 188. A ligação é gratuita e você pode entrar em contato 24 horas por dia, todos os dias. Acesse o site do CVV para maiores informações.

Além desta assistência, é possível fazer terapia gratuita nos Postos de Saúde da Família (PSF) de sua cidade. Nas cidades onde existem Faculdades de Psicologia também existe este serviço, só que é cobrada uma taxa simbólica pelos atendimentos ou se a pessoa comprovar baixa renda, o atendimento pode ser gratuito.

Sendo assim, seja melancolia ou depressão, é preciso dar atenção ao que sentimos, ao que passamos no dia a dia. Ouvir nosso corpo, prestar atenção aos nossos comportamentos e assim poder buscar ajuda se necessário para que tristeza e emoções semelhantes possam servir de oportunidades de cuidar de si com mais atenção e carinho.

Não ofereça cadeira para o sofrimento. Busque (e ofereça)ajuda.

 

Psicólogo Flaviano Silva CRP 05/56349
Terapia de Casal e Relacionamentos
Atendimento em Nova Iguaçu, Barra da Tijuca
e Shopping Nova América

Compartilhe

Contato

Telefone ou Whatsapp para verificação de disponibilidade e Agendamento para atendimento online:

(21) 98843-0729
Terapia de Casal RJ

Posts Relacionados

Compartilhe