Culpa e remorso são duas emoções autoconscientes e que todos sentirão várias vezes ao longo da vida. A culpa é um sentimento que as pessoas costumam ter depois de fazer algo errado, intencionalmente ou acidentalmente.

Assim, o remorso geralmente está relacionado sobretudo ao seu código moral. Entretanto, ambos são emoções negativas que fazem as pessoas se sentirem mal consigo mesmas. Porém, são componentes emocionais importantes.

Curiosamente, a culpa não é necessariamente ruim. Às vezes, é até produtivo. Sentir-se mal depois de cometer um erro pode levar a mudanças, como um pedido de desculpas ou a decisão de fazer escolhas diferentes no futuro.

Por outro lado, o remorso às vezes é inútil. Pode causar sintomas físicos, dúvidas, baixa autoestima e vergonha. Igualmente, pode ser difícil de ser superado, mas é possível, principalmente com ajuda profissional. Conceitualmente, remorso é um forte sentimento de culpa e arrependimento por uma ação passada.

Evitando estados afetivos negativos

Similarmente, tanto a culpa quanto o remorso são estados afetivos negativos que ocorrem em resposta a uma transgressão ou deficiência. Ainda assim, a culpa tem relação com o eu, enquanto o remorso vem de coisas do mundo real, atos ou falhas em agir, eventos pelos quais alguém tem responsabilidade.

Então, alguém que se sente com remorso lamenta algum comportamento que exibiu, enquanto alguém que sente culpa lamenta algum aspecto de quem ele é como pessoa. Segundo essa lógica, é muito mais fácil aliviar os sentimentos de culpa do que de remorso, pois compensar o mau comportamento é mais fácil do que mudar fundamentalmente a si mesmo.

Na verdade, um estudo examinou os correlatos neurais de culpa e remorso, assim como do constrangimento e descobriu que as bases neurais de ambos eram semelhantes, mas distintas, indicando que ambas as emoções, embora compartilhando algum terreno comum, são fundamentalmente diferentes.

Teorias sobre culpa e remorso

Primeiramente, o conceito de culpa é que é uma experiência pública, já que é causada pelas reações dos outros, enquanto o remorso é uma experiência privada, logo, causada por conflito interno sobre moralidade.

Algumas concepções de culpa e remorso as consideram emoções de autocensura e afirmam que são cruciais para o desenvolvimento e manutenção das relações interpessoais porque atuam como reguladores sociais importantes, incentivando um equilíbrio entre os impulsos do indivíduo e os direitos e necessidades dos outros.

Apesar disso, os casos em que um erro real foi cometido, os sentimentos de culpa e remorso são o primeiro passo para reparar o dano causado. Finalmente, o remorso e a culpa são emoções sociais destinadas a impedir as pessoas de agirem por puro interesse próprio.

Os pesquisadores descobriram que os sentimentos de remorso levaram as pessoas a prestar mais atenção aos “estímulos reparadores”, assim como em palavras como “ajudar”, “pedir desculpas” e “consertar”, do que outros tipos de estímulos.

É importante ressaltar que esses pesquisadores também descobriram que o remorso levou os participantes a se sentirem mais positivos com esses estímulos reparadores, tornando-os mais desejáveis.

Similarmente, o estudo descobriu que o remorso levava as pessoas a prestar mais atenção aos conceitos pró-sociais e reparadores, e também a se sentirem melhor sobre esses conceitos.

Em geral, o remorso é uma resposta por ter feito mal a alguém. A diferença é que o remorso parece levar as pessoas a agir de uma forma mais moral para amenizar sua culpa, enquanto a culpa parece simplesmente fazer alguém se sentir mal consigo mesmo.

Como superar o remorso

A melhor maneira de trabalhar o remorso, é consertar o erro. Porém, isso pode significar pedir desculpas por uma transgressão, substituir algo que foi quebrado ou reparar o dano que causou.

Mesmo assim, pode-se sentir remorso mesmo depois de pedir desculpas, e é importante saber como reduzir os danos desses sentimentos. Isso geralmente é feito por meio do perdão a si mesmo, especialmente quando a pessoa ofendida não recebe o perdão da pessoa que ofendeu.

Pessoas propensas a sentir culpa, entretanto, são mais propensas a perdoar a si mesmas, enquanto as pessoas propensas ao remorso são menos propensas a perdoar a si mesmas. Ou seja, o perdão a si mesmo é uma maneira de superar a culpa e o remorso, sem ignorar o dano real que alguém pode ter causado e que levou a esses sentimentos.

O funcionalismo das emoções autoconscientes

Um estudo analisou as reações das pessoas ao remorso e encontrou alguns resultados interessantes. Eles descobriram que as pessoas que sentiam culpa eram mais propensas a evitar o contato visual do que as que se sentiam remorso.

Ou seja, as pessoas com remorso tinham mais probabilidade de querer reparar o dano que poderiam ter causado do que as pessoas que sentiam culpa.

Essas e outras descobertas levaram os pesquisadores a concluir que o remorso é caracterizado pelo desejo de esconder e fugir, a culpa pelo desejo de reparar.

Em geral, a culpa se expressa em comportamentos orientados para a reparação, enquanto a remorso geralmente se expressa em comportamentos orientados para fuga e retraimento. Essas expressões comportamentais ajudam a explicar por que a culpa é geralmente pró-social, enquanto o remorso geralmente não é pró-social.

A cura do remorso

Então, o remorso é uma emoção social importante, pois impede as pessoas de agir por puro interesse próprio. É importante reconhecer e tentar reparar o dano que levou ao remorso, mas também é importante perdoar a si mesmo quando uma tentativa genuína for feita para reparar esse dano. Caso contrário, os sentimentos podem pesar sobre a pessoa de uma forma negativa.

Assim, o remorso pode fazer com que as pessoas se sintam indignas ou inadequadas. Pode levar ao isolamento, atos de autopunição ou outros comportamentos potencialmente prejudiciais. Em um momento ou outro em nossas vidas, todos nós sentimos remorso que é o profundo arrependimento ou culpa por um erro cometido.

E provavelmente estamos todos familiarizados com o “remorso do comprador” que é o arrependimento sentido depois de fazer uma compra, geralmente uma grande, que não podemos pagar. Existe ainda o arrependimento por outros motivos, como perceber que poderia ter conseguido um negócio melhor se houvesse esperado.

Porém, também sentimos remorso quando traímos de alguma forma ou magoamos alguém deliberadamente, dizendo ou fazendo algo que sabemos que pode prejudicar ou magoar.

Sentimentos de remorso podem prender em memórias negativas do passado que podem surgir sempre que vemos o objeto que compramos, ou a pessoa que machucamos, ou pensamos sobre a gravidade do que fizemos. O remorso também pode ser um desanimador psicológico, tornando-nos conscientes do que deveríamos ter feito melhor, mais cedo, mais certo e com compaixão.

Mais do que apenas a consequência

Como afirmou o jornalista e escritor Mignon McLaughlin: “O verdadeiro remorso nunca é apenas o arrependimento sobre as consequências; é o arrependimento sobre o motivo”.

McLaughlin não estava falando sobre o remorso do comprador. Ele estava falando sobre o remorso que sentimos quando fazemos algo que exige uma premeditação calculada e sabemos que não é certo. Fizemos algo para machucar ou derrubar alguém.

A causa do remorso discutida com mais frequência é quando alguém conscientemente causa dano a outro. Ao passo que isso inclui espalhar mentiras e repetir fofocas, bem como quando uma pessoa trai seu cônjuge de alguma forma, como mentir sobre beber, se drogar, jogar, assistir pornografia, e fazer sexo aleatório.

O verdadeiro remorso causa angústia

No entanto, na maioria de nossos outros casos de clientes em que o dano foi causado a outra pessoa, especialmente a um amigo ou membro da família, experimentou-se uma ansiedade mais profunda – às vezes em grau elevado. Por quê? Porque essas pessoas perceberam que conscientemente, propositalmente causaram dor, mágoa e angústia a outra pessoa e, ao fazer isso, mudaram fundamentalmente esse relacionamento de uma forma profundamente negativa.

Pare, aprenda, perdoe, siga em frente

Quando sentir remorso sincero, examine porque você criou essa experiência negativa do passado. Então é difícil porque você pode querer culpar alguma coisa ou outra pessoa por suas ações. Assuma a responsabilidade pessoal e pergunte-se se havia algo mais que você poderia ter feito para evitar a situação.

Compreenda que o que está feito está feito e, embora você não possa mudar o passado, pode escolher não recriar a situação no futuro trabalhando seus motivos no presente. Você pode aprender com essa experiência e jurar a si mesmo que não fará isso de novo.

O próximo é talvez o passo mais difícil: peça perdão, primeiro a si mesmo e depois a quem você magoou. Ao se reconectar com essa pessoa, faça-o com esta fórmula simples: “Sinto muito, fiz algo ruim com você. Foi errado. Nunca mais farei isso. Por favor, me perdoe”.

Se optarem por não perdoar, aceite esse resultado, saiba que você fez o melhor de coração e perdoe a si mesmo. Então siga em frente com sua vida. Podemos escolher nos tornar uma pessoa melhor e mais iluminada e criar para nós um futuro mais brilhante, gentil e compassivo. É realmente o melhor exemplo que conhecemos de transformar “coisas ruins” em “coisas boas”.

 

Apoio para a cura

A criança geralmente aprende sobre “certo” e “errado” com os membros da família, especialmente os pais. Quando uma criança se comporta mal, os pais geralmente expressam desapontamento e emitem uma consequência. Saber que seus pais estão decepcionados pode desencadear sentimentos de arrependimento e remorso. A criança pode querer fazer tudo o que puder para reconquistar a aprovação dos pais.

Quando a cultura de uma pessoa afirma que determinado comportamento é errado, a pessoa pode sentir remorso mesmo que seu próprio código moral diga que não há nada de errado com o comportamento.

Sob o mesmo ponto de vista, uma pessoa solteira criada em uma cultura que desencoraja as relações sexuais fora do casamento pode se sentir culpada ao fazer sexo, mesmo que acredite que é perfeitamente normal fazer sexo sem ser casado.

Uma cultura de culpa enfatiza os efeitos do comportamento de uma pessoa sobre os outros e conecta isso ao modo como essa pessoa é vista pelos outros. Quando as ações de uma pessoa causam danos ou angústia a outros, essa pessoa perde o respeito social. Para livrar-se do remorso, consertar o erro, pedir desculpas ou de alguma forma fazer as pazes pode reparar o dano.

Efeitos psicológicos do remorso

Os efeitos psicológicos do remorso podem ser benéficos apenas quando inspiram uma pessoa a fazer mudanças em seu comportamento. Logo, em outras ocasiões, podem causar angústia. Um estudo mostrou que a culpa, remorso e a depressão estão frequentemente relacionadas, por exemplo. E também sugere que a ansiedade, assim como o transtorno obsessivo-compulsivo (TOC), podem estar relacionados a sentimentos de culpa ou remorso.

Quando uma pessoa não consegue consertar um erro, a culpa pode persistir até que ela tenha a chance de consertar. A culpa resultante de uma ação que não pode ser reparada, como quando uma pessoa sente que indiretamente causou a morte de outra, pode ter um impacto negativo duradouro na vida. A terapia muitas vezes pode ajudar a pessoa a lidar com essas emoções e reenquadrar seus sentimentos sobre o que aconteceu.

A maioria dos psicólogos considera o remorso o principal componente da experiência de culpa. Uma base para distinguir entre vergonha e culpa diz respeito aos tipos de situações que provocam essas emoções. As análises de experiências pessoais de vergonha e culpa fornecidas por crianças e adultos, no entanto, revelam poucas, se houver, situações confiavelmente indutoras de vergonha ou culpa.

O remorso tem sido mais estreitamente ligada às transgressões morais, enquanto a vergonha pode ser provocada por uma ampla gama de situações, incluindo falhas morais e não morais. Entretanto, a maioria dos tipos de eventos como por exemplo, mentir, trapacear, roubar, etc., são citados por alguns como causadores de vergonha e por outros como causadores de culpa. Em suma, o tipo de evento não distingue com segurança entre remorso e culpa.

Exposição

A culpa é a emoção mais pública decorrente da exposição a outros desaprovadores, enquanto o remorso é a experiência mais privada representada por dores de consciência geradas internamente.

Acontece que as pessoas se sentem mais expostas, mais escrutinadas pelos outros quando experimentam remorso do que culpa. A maioria dos tipos de eventos que provocam vergonha e culpa são públicos, no sentido de que outras pessoas estão cientes da falha ou transgressão que desperta emoções, e a frequência com que outras pessoas estão cientes do comportamento dos respondentes não varia em função da vergonha ou culpa.

O remorso é tipicamente a emoção mais dolorosa e perturbadora porque o eu, e não apenas o comportamento, é o objeto de julgamento. Quando as pessoas sentem remorso, também se sentem “pequenas”, sem valor e sem poder.

Sentimentos de culpa ocasionados pelo remorso andam de mãos dadas com empatia orientada para o outro. Na verdade, a vergonha tende a atrapalhar a capacidade das pessoas de se conectar com empatia.

Arrependimento e remorso

A diferença entre arrependimento e remorso é que o arrependimento tem a ver com desejar que você não tivesse feito uma ação específica. Você pode se arrepender de uma ação porque machucou outra pessoa, mas também pode se arrepender porque te machucou, custou algo emocional ou financeiramente, ou levou a uma punição ou resultado indesejável. Já o arrependimento pode levar uma pessoa a sentir tristeza, mágoa e raiva, causada pela dor que ela sente por si mesma, não necessariamente pela outra pessoa que foi magoada pelo comportamento.

O remorso envolve admitir os próprios erros e assumir a responsabilidade por suas ações. Cria um sentimento de culpa e tristeza por magoar outra pessoa e leva à confissão e verdadeiro pedido de desculpas. Também move a pessoa com remorso a evitar a ação prejudicial novamente. O arrependimento leva uma pessoa a evitar punições no futuro, enquanto o remorso leva a evitar ações prejudiciais a outras pessoas no futuro.

O remorso vem da verdadeira empatia pela dor que a outra pessoa está sentindo por causa de suas ações. Boderliners e narcisistas perversos raramente sentem remorso porque não sentem muita empatia e não entendem que são responsáveis pelo que dizem, sentem ou fazem. Por outro lado, os cuidadores sentem muita empatia e muito remorso.

Muitas vezes o zelador pensa que é culpa sua tudo o que acontece no relacionamento, incluindo os sentimentos, reações e comportamentos irracionais do parceiro.

Mudanças

Então, como você pode saber se alguém está arrependido ou com remorso? As declarações de arrependimento geralmente soam assim: “Lamento que você tenha entendido assim”, ou “Eu não deveria ter feito isso. Eu não quero deixar você bravo”, ou ainda “Por que você não pode esquecer? Está no passado”, e ainda “Você sabe que eu não quis dizer isso”.

Afirmações levam a um verdadeiro pedido de desculpas, incluindo preocupação com seus sentimentos e responsabilidade por suas ações: “Sinto muito ter machucado você. O que posso fazer para ajudá-lo?”, ou “Eu vejo a dor que isso está causando a você”, ou “Você tem o direito de estar com raiva”, “Eu estava errado”, “Eu entendo que pode demorar um pouco para você superar a dor” e finalmente: “Como posso ajudá-lo a se sentir melhor?”

Não são apenas as palavras que soam diferentes, mas a preocupação emocional com o remorso é profundamente sentida e transmitida com o foco em fazer as pazes. O arrependimento muitas vezes parece plano, sem emoção e é mais focado em seguir em frente e acabar com a punição.

Ouça as palavras e sintonize-se com seus sentimentos quando alguém se desculpar. É sincero? Você se sente ouvido e, acima de tudo, sente o amor e a preocupação legítima vindo da pessoa? Não despreze sua resposta. Se não for realmente melhor, geralmente é apenas arrependimento, não remorso.

8 dicas para superar o remorso

Revisar sem parar o que aconteceu no passado, punir-se pelas coisas ruins que você fez não mudará nada. Certamente não fará com que os eventos ou ações desapareçam. No entanto, o padrão de chafurdar em remorso, culpa, vergonha e auto aversão não precisa continuar. Aqui estão algumas dicas para superar o remorso que podem ajudar.

Algumas tradições religiosas enfatizam o remorso mais do que outras. Se as ações de uma pessoa não estão de acordo com os ensinamentos da religião, a culpa geralmente surge da crença de que um poder divino conhece suas ações e os responsabiliza. Isso muitas vezes leva a pessoa a confessar seus erros, arrepender-se (uma ação dentro de si), bem como fazer algo para consertar o que está errado.

Uma pessoa que se corrói de remorso, pode ser instada por essa voz interna a consertar de alguma forma seu erro.

  1. Trabalhe para se tornar mais saudável

Pensamentos e emoções tóxicas, afetam seu corpo. Antes de começar a se curar dos efeitos do remorso, você precisa agir para restaurar sua saúde. Se você usava drogas e álcool como muleta para lidar com a dor, isso também contribuía para seu atual estado físico e mental.

Faça questão de comer alimentos nutritivos, dormir o suficiente, hidratar-se frequentemente com água e praticar exercícios físicos vigorosos regulares. Pode levar algumas semanas ou mais para recuperar a saúde, mas um corpo mais saudável melhorará muito sua capacidade de superar o remorso.

  1. Desenvolva novos hábitos

Analise como você passou seus dias com ênfase particular no que você fez para anestesiar a dor do remorso. Encarar a realidade de que utilizou mecanismos de enfrentamento prejudiciais não é fácil, mas é necessário para chegar ao ponto em que você reconheça que precisa de hábitos novos e mais saudáveis para substituí-los.

  1. Restaure seu emocional

Depois de ser castigado por longos meses lutando contra o remorso, é provável que seu emocional esteja em declínio. Aprender como se curar dos efeitos prejudiciais do remorso é mais fácil com a ajuda de um conselheiro ou terapeuta profissional. Você precisa aprender não apenas que é infrutífero bater em si mesmo por causa do passado, mas também que pode escolher um caminho novo.

  1. Ative seu senso de autodescoberta

O remorso não solapa apenas o seu corpo físico. Também causa estragos em seu estado emocional. Em vez de ansiar pelas atividades diárias e aprender coisas novas, você passa a maior parte do tempo em um estado de estagnação. Não há alegria, nem autodescoberta, nem empolgação com quase nada.

  1. Comprometa-se com uma mudança no estilo de vida

Para enfrentar e superar os sentimentos de remorso com sucesso, você terá que levar em consideração o fato de que certas pessoas, lugares, momentos e eventos desencadeiam essas emoções negativas. Muito provavelmente, você precisará encontrar novos amigos, evitar as situações e locais que o lembram de memórias dolorosas e o enchem de remorso.

  1. Junte-se a um grupo com objetivos semelhantes

A participação em grupo também é altamente recomendada para quem está trabalhando para superar o remorso. Qualquer grupo que compartilhe objetivos semelhantes ou ajude você a seguir uma atividade ou interesse irá beneficiar seu desejo de superar o remorso.

  1. Preste atenção especial à família

Frequentemente, são as pessoas que melhor conhecem você e se preocupam com você que podem realmente iniciar o processo de cura. Muitas vezes, você também tende a se afastar deles, temendo críticas, negatividade e desenterrando o passado. É importante aproveitar ao máximo seus entes queridos e familiares, pois eles são fundamentais para ajudar a afirmar seu compromisso de viver uma vida mais saudável e feliz. Só porque alguns problemas e memórias são dolorosos, não significa que não vale a pena resolvê-los com a ajuda de sua família.

  1. Procure abraçar a vida

Depois de trabalhar na criação de passos positivos e realizar as ações necessárias para alcançá-los, a vida começa a parecer diferente. Não é mais sombrio e monótono. Ao invés disso, pensamentos, sonhos e planos que afirmam a vida substituirão os autodestrutivos com os quais você viveu por tanto tempo. Com o compromisso e o entusiasmo de abraçar a vida, o seu caminho o levará em direções que você achará inesperadas e deliciosas.

Quanto ao tempo necessário para superar o remorso com sucesso, lembre-se de que cada dia é mais uma oportunidade de progredir em direção a uma mudança saudável. Viva no presente. Esforce-se ao máximo em tudo o que fizer. Cerque-se de pessoas que são positivas e compartilham seus valores. Não se leve tão a sério. Acima de tudo, seja grato por ter este dia para fazer todas as escolhas que quiser.

Compartilhe

Contato

Telefone ou Whatsapp para verificação de disponibilidade e Agendamento para atendimento online:

(21) 98843-0729
Terapia de Casal RJ

Posts Relacionados

Compartilhe